Cidade sem memória, sem história e funcionária pública mal educada

Por conta de uma pesquisa recorri a Biblioteca Pública, um local agradável para uma boa leitura. Minha pesquisa é sobre a história de Balneário Camboriú. Lá encontrei um só livro, o do Isaque. Um único exemplar, todo “estoporado”, como diria o rapaze. Pois é. Uma cidade sem memória, não tem história. Seguindo com a pesquisa precisei da data de inauguração do Colégio João Goulart. Onde vou? No Colégio João Goulart. Chego na secretaria e um rapaz, novinho, atende, expliquei sobre o que precisava e ele apontou para uma placa de inauguração do prédio novo. Argumentei que preciso da data de inauguração do colégio. Ele, então, foi até uma funcionária postada em frente do computador. Ele explicou a funcionária e ela apontou para a mesma placa. Como não era disso que se tratava, ela simplesmente respondeu ao funcionário que “agora não dá”. Quer dizer, a funcionária não foi capaz de tirar a bunda da cadeira e me atender. É assim que funciona. Respondi com um muito obrigado em voz alta e fui embora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *