Faltou a língua

Está no Blog do Xexéo, no O Globo: “A ideia do banqueiro aposentado Ulli Schröder, de 62 anos, era só homegear sua banda de rock predileta. Durante toda a vida, ele juntou memorabilia dos Rolling Stones e, em outubro do ano passado, inaugurou um museu com seus objetos em Lüchow, na Alemanha. Mas a polêmica começou mais recentemente quando mulheres da cidade começaram a reclamar dos mictórios no banheiro masculino do museu. “Se fosse uma referência à boca do logotipo da banda, tudo bem”, disse à revista “Der Spiegel” a ativista pelos direitos da mulher Roda Armbruster. “Mas não tem a língua do logotipo e as formas da boca são femininas”. Roda e mais uma dúzia de companheiras não gostaram do formato do mictório considerando-o discriminatório. “Não é uma boca de homem ou de mulher. É arte”, defende-se Schröder. “Foi caro à beça, vai continuar lá e ponto final.” A “arte” ou a “provocação” foi desenhada pela artista holandesa Meike van Schinjdel. Originalmente, os mictórios foram instalados num banheiro de Nova York, mas, depois de algumas reclamações, foram retirados de lá. Agora, causam furor na Alemanha”. O formato dos lábios é irrelevante. Falta mesmo é a língua.

Um comentário sobre “Faltou a língua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *