Arquivo da tag: Eleição

Todos querem nos governar e um não quer

Asinil Medeiros, Carlos Humberto Metzer Silva, Fabrício Oliveira, Fábio Flôr, Júnior Pavan, Luiz Osawa, Marisa Fernandes, Nilson Probst, o que essa rapaziada toda têm em comum? Governar Balneário Camboriú a partir de 2017. De uma forma ou de outra, todos eles já manifestaram o desejo de ser o próximo prefeito da cidade. Menos um. O promotor André Mello recebeu uma carta dos membros do Partido Verde convidando-o a encabeçar uma chapa pura do partido na próxima eleição municipal. Os rumores a respeito deste convite já vinha rolando há pelo menos dois meses. Entre os rumores e a carta convite, conversei com o promotor cujo nome é relacionado ao meio ambiente por conta de sua atuação na área ambiental. Em uma conversa informal de estacionamento de Fórum comentei com ele sobre a vontade do PV. Entre sorrisos, André Mello agradeceu, mas ponderou que tem toda uma carrreira pela frente no Ministério Público.

Pela liberdade de imprensa… sempre

O assunto do momento nas redes sociais é a capa da Veja. A discussão está polarizada entre os que defendem que ela – a Veja – está prestando um serviço e os que acham que ela – a Veja – é suja, é lixo. Até pincel um comentário raivoso: “Um lixo este tipo de jornalismo sempre foi ruim mas com passar dos anos deteriorou só mesmo um idiota pata se informar através de um lixo desses”.

Me incluo entre os idiotas, me rendo. Gosto de ler. Tenho o hábito – não semanal – de ler as revistas semanais. Sou analógico, gosto do folhear e ler longe da luz do monitor. Destas revistas semanais procuro comprar umas das quatro: Veja, Isto É, Carta Capital e Época. A escolha recai sobre a capa que mais me atrai. Então, posso não ser um completo idiota, mas sou um idiota.

Quanto a dna Veja, acompanho desde meus tempos de mocinho. Os outros três títulos sequer existiam. Era época de O Cruzeiro, Manchete e Fatos & Fotos. Por mais que os não idiotas torçam o nariz, a Veja sempre denunciou. Governo por governo, inclusive peitou a famigerada ditadura militar. As melhores fases já passaram. Hoje, ela – a Veja – vive seu pior momento. É panfletária porque conta com uma equipe de jornalistas que produzem textos raivosos, com excesso de opinião pessoal, o que acaba transbordando sobre a imagem da revista de forma negativa.

Tenho de 30 anos de jornalismo e eu acredito na informação. Se você tem ela na mão, deve noticiar. Informação não é cheque para ser pré datado. Não é por causa de uma eleição que se deixará para depois e assim não influenciar o resultado (se é que influencia). Isto sim é manipular. Se a reportagem da revista tem a informação que o turco ladrão disse, em depoimento, que Lula e Dilma sabiam da falcatrua, por que omitir? Imprensa alguma do Brasil pode ser responsabilizada por noticiar esta merda toda que está acontecendo nas delações premiadas que rolam justamente na véspera de eleição.

A capa é sensacionalista? É claro que é. A Veja chutou o balde na forma de noticiar. A foto de capa poderia ser outra, a manchete poderia ser outra. Outra publicação, a Carta Capital faz campanha declarada a reeleição de Dilma e ninguém fala nada. A culpa, na verdade, não é nem de uma (Veja) nem de outra (Carta Capital), mas sim do leitor idiota, aquele que não sabe conviver com as diferença e sai taxando todo mundo de idiota.

Liberdade de imprensa sempre.

Os gaúchos são uns fanáticos por política

politica3

A fama já vem de longe. Os gaúchos são os mais politizados do país. Em três dias de Porto Alegre, faltando praticamente uma semana para a eleição, senti na pele esse fanatismo. Você anda pela rua e vê a todo momento pessoas passeando com uma bandeira pendurada no ombro. Parece a coisa mais natural do mundo. De forma espontânea, diferente daqui que sempre rola um cachezinho básico. No domingo do Parque do Redenção não poderiam faltar as manifestações políticas, e das grandes. Chegou um momento que a turma do PT estava indo em direção da tchurma do PDT. Se não fosse a intervenção de um cara do PDT, sei não. Os pedetistas voltaram. Mas adiante estava a turma de Ana Amélia, ex-jornalista, favorita nas pesquisas ara suceder Tarso Genro. Gaúcho tem por tradição não reeleger ninguém, mas acho que o Tarso quebra este tabu se o PDT aderir no segundo turno.

politica

politica1

 

Protestantes apoiam Dilma

Não sou de assistir horário político, mas, numa zepeada, dei de cara com um vídeo de uma das passeatas de junho do ano passado. Aquela que também teve sua versão aqui para 10 mil pessoas na Atlântica. No off do vídeo a chamada para a cena seguinte. A candidata Dilma Roussef rodeada dos líderes de movimentos disso e daquilo que se autoproclamam nosso representantes. Todos – tinha uma penca – declarando voto para Dilma. Esse pessoal todo e seus representados – a mim eles não representam – protestaram do que naquele junho, então? Contra o vizinho? Os tais 20 centavos? O estacionamento do shopping? A qualidade das foices ching-ling? Que o azul não é vermelho? Tava na cara que a população – aquela não representada por oportunista algum – estava lá para se manifestar contra a classe política e seus privilégios. Então quer dizer que essas lideranças todas – algumas com pinta de revolucionários – armaram a lona para depois aparecer no horário da candidata, declarando voto e fazendo selfieszinhos constrangedores? E aquela figura esquisita do tal Capilé, o ninja (agora questiono, qual foi mesmo o papel dos ninjas da mídia?). Queria não ter zapeado para não ver isso.

O estrago da Veja e a cultura eleitoral do Brasil

Hoje estava passando em frente a banca do Shopping Atlântico e não vi a última edição da Veja na vitrine. Perguntei e a menina falou que esgotou tudo. Foram 75 exemplares. Na região circula 2 mil. Fui comprar um pãozinho básico no Angeloni e no caixas, nada de Veja. Se o cálculo é de 4 leitores para cada exemplar, imagina o estrago para as campanhas dos políticos citados pelo delator da Petrobras. Tudo isso é automaticamente levado para o horário político gratuito, quintal do marketing político. É o marketing político que determina o que vai pro ar. As propostas – se é que existem – ficam de lado. O roteiro do programa tem que entrar no clima do desqualificar adversários, dos corruptos ais incompetentes. O eleitor é bombardeado por desqualificações e quase nada por qualificação. A justiça eleitoral assiste de camarote, se omite e permite o fortalecimento desta cultura em detrimento do papel do horário gratuito: o de convencer os eleitos apresentando suas qualificações.

Do Cesar sobre as eleições

“Acho que deu problema na Kombi, a penca já não está mais se acertando. A sede de poder tá maior que a fome por cargos”. Pois é, vi a declaração do LHS hoje. O cara tá colocando o Raimundo Colombo na parede na cara dura. Ou é a composição que ele quer ou nada feito. Incrível. Não fosse pelo Silveira do sobrenome diria que LHS é o novo Kaiser da política catarina… hehehe…

Da Rafaela, gostei

“Jackson, concordo com você. E dessa vez espero que esses verdadeiros criminosos (principais políticos da cidade) não deixem apenas essa disputa Piriquito X PSDB. O Piriquito ataca o PSDB, no entanto, tem os mesmos secretários e diretores e faz igual ou pior que o outro hahaha – grande mudança mesmo hahaha. EX: humanização da avenida do estado, trecho shopping hall, 4 pistas para carros, no entanto, não tem 1 metro quadrado de calçadas padronizadas!!! Qual humanização é essa? 1° o carro depois as pessoas??? A obra ficou 8 meses parada!!!  SEM FALAR QUE SÓ PENSA EM TRÂNSITO!!! O POVO FICOU DOIDO? EU QUERO MAIS É QUE OS VEÍCULOS DESAPAREÇAM!!! Olha, sinceramente é engraçado a forma das pessoas votarem. O PSDB igual, reclama da falta de turismo, no entanto, quando eram o governo a iluminação de Natal era ruim (apesar que esse ano não teve enfeites de natal, ou acham que isso pode ser chamado de enfeites de natal? hahahaah, não tinha shows durante o ano etc… Além disso o PSDB enjoou! O ideal seria algo NOVO! REALMENTE NOVO! Não apenas mudar o prefeito e vice e o resto continuar igual! Na milha opinião o povo tem mais é que explodir!”

Candidato Piriquito cassado

A candidatura Piriquito/Dalvesco foi cassada em primeira instância por abuso político/econômico e de comunicação. Isto quer dizer que a dupla não será diplomada amanhã, salvo um canetaço da mesma Justiça, em segunda instância. É um caso bem complicado. A cidade está na boca da temporada sem saber qual será seu destino. Acredito que a Justiça garanta o prefeito ERD, pelo menos, momentaneamente, mas o fato deixa claro uma coisa: a justiça não permite desaforo. As leis existem e devem ser cumpridas. Isto serve para todos.

Já vi muito neguinho perder a candidatura por muito menos

Sexta-feira, ato público pela vinda do Depto de Belas Artes da UFSC aqui prá cidade. De repente são chamadas as autoridades para ir lá na frente. Cláudio Dalvesco, vice e candidato a vice, é chamado. Feito uma barata tonta não sabia se ia ou não ia. Mas a empolgação falou mais alto e ele foi. O público aplaudiu, ele abanou e ficou naquele fico ou não fico. Não ficou. Vazou na sequência. Então Orlando Angioletti, presidente da Câmara e candidato a reeleição é chamado. Ele estava do meu lado. Olhou prá mim e… não foi. Fez o certo. Não deu um minuto para eu olhar para os lados e não ver mais nenhum dos dois. Puxaram o carro… hehehe…