Arquivo da tag: Gripe da Porca

Secretario “rapidinho”

Na mesma entrevista, o secretário falava sobre a gripe da porca. Não vi qualquer iniciativa da prefeitura até que estourou o caso da Avantis impedida de vacinar centenas de pessoas por parte da vigilância sanitária. Não é só a Avantis. Várias empresas estão se agilizando para vacinar funcionários diante da omissão do poder público. O mesmo secretário andou afirmando que a iniciativa do vereador Fabrício de Oliveira de direcionar um milhão de reais do orçamento da Câmara para a compra de vacinas não seria tão eficaz porque até abrir licitação e concluir a licitação o inverno já passou. Pois é: ontem ele falou que a secretaria está comprando. Falou que o preço da vacina estava na faixa de sete reais e foi aumentando de acordo a lei da oferta e da procura. Acha ele que o preço será entre 20 e 25 reais. Putz, é foda. A secretaria teria a obrigação de prever esta situação. Dormiu no ponto e agora paga essa pequena fortuna. Nosso dinheiro é capim.

Porra meu, se não quer trabalhar, que não atrapalhe

Olha essa: há uma clínica (que não vou declinar o nome) que está oferecendo vacina da gripe da porca em quantidade para empresas aqui de BC. Vacinando em grande quantidade o preço reduz até a metade do preço. E assim teria sido feito com algumas empresa como o BC Shopping até chegar no Avantis. Daí, a versão de um aluno amigo meu: na faculdade cerca de 600 pessoas seriam vacinadas até que, tchan tchan tchan, eis que surge a viligância sanitária mandando parar tudo. Teriam ligado para o secretário de saúde. Falaram do ocorrido e ele não teria retornado. Ligaram novamente e o próprio teria dito que é preciso alvará, que eles estão fazendo comércio, blá blá blá… Enfim, apelaram para a prefeita Luzia que colocou o CAIC a disposição. A Avantis providenciou transporte e a vacinação finalmente foi realizada. Este tipo de coisa é inadmissível!

Ainda sobre a Utilidade Pública da gripe da porca

Aterrisou na minha caixa de entrada:

”AUTORIZA A MESA DIRETORA DA CÂMARA DE VEREADORES A DISPOR DO MONTANTE DE ATÉ R$ 1.000.000,00 (UM MILHÃO DE REAIS) DO ORÇAMENTO DO PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL DE 2012, PARA ADQUIRIR VACINAS DE COMBATE A GRIPE H1N1”.

Art. 1º – Fica a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores autorizada a dispor do montante de até R$ 1.000,000,00 (Um milhão de reais) do orçamento do Poder Legislativo Municipal de 2012, para adquirir vacinas de combate a gripe H1N1.

Art. 2º – As vacinas referidas no artigo anterior serão destinadas a toda população residente em Balneário Camboriú, devidamente comprovada.

Art. 3º – A administração das vacinas será exercida pela Secretaria de Saúde Municipal.

Art. 4º – Fica fixado o prazo de 10 dias para que a Mesa Diretora tome as providências necessárias ao cumprimento desta resolução.

Art. 5º – Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.

Balneário Camboriú, 21 de junho de 2012.

VEREADOR FABRÍCIO OLIVEIRA

BANCADA DO PSDB

 

# # #

 

Good idea

Ainda sobre a Utilidade Pública

Quando surgiu a famosa gripe da porca houve uma mobilização geral. O Estado, bem ou mal, liderou uma campanha de esclarecimento e vacinação. Enfim, como se deve encarar um risco a saúde pública. Este ano, pela nota oficial expedida pelo Governo do Estado, a coisa está mais feia do que parece. Trata-se como surto. Do surto para algo mais assustador é um pulinho. Vejo todo mundo preocupado e desorientado. O Estado desta vez se omite e seja o que Deus quiser. Só espero que queira sem sem gripe da porca.

 

UTILIDADE PÚBLICA: GRIPE DA PORCA

NOTA OFICIAL

 

O Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde informam que estão monitorando os registros da Gripe A (H1N1)  em Santa Cataria desde o seu primeiro registro. Em função das informações sobre os casos ocorridos de Gripe A no Vale do Itajaí, a Secretaria de Estado da Saúde esclarece à população catarinense:

 

1.            Não há SURTO de gripe A no Vale do Itajaí e nem em outras regiões do Estado; o que existe são casos isolados;

 2.            Conforme protocolo do Ministério da Saúde só é considerado surto quando existe grande número de óbitos em curto espaço de tempo. Por exemplo: 20 mortes em três dias, o que não é o caso de Santa Catarina;

 3.            Por não caracterizar um surto o Ministério da Saúde não disponibilizará novo lote de vacinas contra a gripe;

 4.            A utilização da vacina, na situação atual, não é recomendada porque a produção de anticorpos contra o vírus da influenza só se inicia após duas semanas da aplicação. Isso não garante a proteção imediata, que seria necessária em caso de surto e que geralmente é de duração muito limitada.

 5.            Dentro do programa de monitoramento e controle da gripe H1N1 o Ministério da Saúde enviou para Santa Catarina três técnicos para auxiliar o trabalho que já vem sendo realizado pela Secretaria da Saúde;

 6.            Em Santa Catarina, nos últimos seis meses, foram confirmados 231 casos de H1N1 e 22 óbitos. Desses óbitos, quatro ocorreram em Blumenau (em 17 de maio, 4 de junho, 10 de junho e em 13 de junho). Durante a pandemia de 2009 foram registrados 159 óbitos no país.

 

O subtipo do vírus de influenza denominado A H1N1 surgiu em 2009, no México, e foi responsável pela pandemia registrada naquele ano.  Em agosto de 2010, com base nos dados epidemiológicos registrados, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia como encerrada.

 

Para se proteger das doenças respiratórias, a Secretaria da Saúde recomenda:

Lave as mãos frequentemente com água e sabão;

Mantenha os ambientes sempre bem ventilados;

Quando tossir ou espirrar cubra a boca e o nariz com um lenço ou antebraço;

Caso apresente sintomas como febre alta, tosse, dor de garganta e falta de ar procure o seu médico ou uma unidade de saúde.