UTILIDADE PÚBLICA: GRIPE DA PORCA

NOTA OFICIAL

 

O Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde informam que estão monitorando os registros da Gripe A (H1N1)  em Santa Cataria desde o seu primeiro registro. Em função das informações sobre os casos ocorridos de Gripe A no Vale do Itajaí, a Secretaria de Estado da Saúde esclarece à população catarinense:

 

1.            Não há SURTO de gripe A no Vale do Itajaí e nem em outras regiões do Estado; o que existe são casos isolados;

 2.            Conforme protocolo do Ministério da Saúde só é considerado surto quando existe grande número de óbitos em curto espaço de tempo. Por exemplo: 20 mortes em três dias, o que não é o caso de Santa Catarina;

 3.            Por não caracterizar um surto o Ministério da Saúde não disponibilizará novo lote de vacinas contra a gripe;

 4.            A utilização da vacina, na situação atual, não é recomendada porque a produção de anticorpos contra o vírus da influenza só se inicia após duas semanas da aplicação. Isso não garante a proteção imediata, que seria necessária em caso de surto e que geralmente é de duração muito limitada.

 5.            Dentro do programa de monitoramento e controle da gripe H1N1 o Ministério da Saúde enviou para Santa Catarina três técnicos para auxiliar o trabalho que já vem sendo realizado pela Secretaria da Saúde;

 6.            Em Santa Catarina, nos últimos seis meses, foram confirmados 231 casos de H1N1 e 22 óbitos. Desses óbitos, quatro ocorreram em Blumenau (em 17 de maio, 4 de junho, 10 de junho e em 13 de junho). Durante a pandemia de 2009 foram registrados 159 óbitos no país.

 

O subtipo do vírus de influenza denominado A H1N1 surgiu em 2009, no México, e foi responsável pela pandemia registrada naquele ano.  Em agosto de 2010, com base nos dados epidemiológicos registrados, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia como encerrada.

 

Para se proteger das doenças respiratórias, a Secretaria da Saúde recomenda:

Lave as mãos frequentemente com água e sabão;

Mantenha os ambientes sempre bem ventilados;

Quando tossir ou espirrar cubra a boca e o nariz com um lenço ou antebraço;

Caso apresente sintomas como febre alta, tosse, dor de garganta e falta de ar procure o seu médico ou uma unidade de saúde.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *